Historial

O Espaço do Tempo • Convento da Saudação
© World Academy

O ESPAÇO DO TEMPO

Fundada em 2000, O Espaço do Tempo é uma estrutura transdisciplinar que serve de apoio a inúmeros criadores nacionais e internacionais. Situada no Convento da Saudação, em Montemor-o-Novo, tem como actividade principal um extenso programa de residências artísticas nas áreas do teatro, dança, performance, música, artes visuais, bem como as artes em geral, estando virada, essencialmente, para a criação contemporânea emergente. Anualmente, acolhe cerca de 100 residências artísticas, nacionais e internacionais, e promove cerca de 60 eventos abertos ao público. 

Ao longo dos anos, O Espaço do Tempo tem estado presente no início e subsequente desenvolvimento do percurso de inúmeros artistas portugueses. Criadores como Jorge Andrade, Tiago Rodrigues, Pedro Penim, André E. Teodósio, Tânia Carvalho, Marlene Monteiro Freitas, Sofia Dias e Vítor Roriz, Marco da Silva Ferreira, Jonas & Lander, Piny, entre tantos outros, têm os seus percursos intimamente ligados a esta estrutura.

Em mais de 20 anos, o percurso d’O Espaço do Tempo caracterizou-se por diversas etapas. Até  2010, o natural crescimento da estrutura foi acompanhado por diversos apoios, criando uma estabilidade que permitiu consolidar o projeto. Contudo, de 2011 a 2015, e apesar do período de crise em que Portugal se viu envolvido, o número de residências duplicou, o que contribuiu fortemente para a resiliência do sector.

Em 2019, após a derrocada de uma das abóbadas e perante a falta de condições de segurança, O Espaço do Tempo foi forçado a sair do Convento da Saudação, local que havia sido a sua casa desde o início da sua existência. Ocupou temporariamente, de março a outubro desse ano, o magnífico espaço do antigo Hospital de Santo André.

Atualmente, e após obras de requalificação, O Espaço do Tempo ocupa hoje as antigas instalações da Oficina Magina, edifício industrial emblemático, localizado no centro de Montemor-o-Novo, onde foram implementadas duas salas-estúdio, totalmente equipadas com material técnico. Paralelalmente, mantêm-se em atividade dois outros espaços de criação – uma Blackbox e a XL Box, espaço de grandes dimensões que permite responder à necessidade do meio artístico para produções de maior escala.

Fachada da Oficina Magina, actuais instalações d'O Espaço do Tempo
Fachada da Oficina Magina, actuais instalações d’O Espaço do Tempo

O Espaço do Tempo irá ocupar estas instalações durante o tempo em que decorrem as obras de requalificação do Convento da Saudação, casa-mãe desta estrutura e de inúmeros criadores portugueses.

Uma das outras linhas de ação desta associação passa pela formação, com especial atenção à relação interpares, área em que regularmente organizamos encontros, seminários e residências internacionais, tal como os projectos Colina e TryAngle, pontuados com nota máxima nas candidaturas à Comissão Europeia.

O Espaço do Tempo estende igualmente a sua actividade ao apoio à internacionalização dos criadores portugueses, organizando, bienalmente, a Plataforma Portuguesa de Artes Performativas, a mais importante acção de divulgação dos nossos criadores contemporâneos, ponto de encontro de dezenas de programadores nacionais e, sobretudo, internacionais.

Por último, e conscientes de que não é possível um projecto artístico descentralizado sem o correspondente vector sociocultural, O Espaço do Tempo tem desenvolvido, desde o início das suas actividades, uma intensa relação com o tecido humano do concelho. Neste sentido, promovemos regularmente projectos com as escolas, com as associações, bem como um extenso calendário de espectáculos, seminários, workshops e acções de formação.

O Espaço do Tempo promove uma política activa de inclusão de artistas e espectadores com deficiência física ou intelectual, não descriminando géneros ou minorias étnicas, respeitando a igualdade de género, sendo um porto seguro para a comunidade LGBTQI+. Consideramos essencial promover os valores da cultura, das práticas democráticas, e uma vigorosa reflexão e envolvimento prático com a sustentabilidade ambiental, tendo como contexto a comunidade onde nos inserimos.

O Espaço do Tempo ganhou o Prémio Almada, do Ministério da Cultura, e o Prémio Gulbenkian do Conhecimento 2018.