A carregar Eventos

« Todos Eventos

Q de Quê? — teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser (Espetáculo Infantil)

Fevereiro 18 @ 4:30 pm - Fevereiro 23 @ 5:30 pm

teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser

Q de Quê? — teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser

Ensaio aberto inserido no ciclo Espetáculos para todas as Famílias

website | facebook | instagram

17 de fevereiro • Escolas (Horário a confirmar)
18 de fevereiro • Público (16h00)
Oficina Magina | Reservar bilhetes aqui (disponível brevemente) *

 

Q de Quê? é um espetáculo em forma de pergunta, dirigido a crianças e jovens a partir dos 8 anos, que pretende refletir sobre diversidade, identidade e expressão de género.

A biologia e a ecologia dão o mote para compreender a enorme complexidade e diversidade do mundo natural. Ao longo da pesquisa para este projeto, deparámo-nos com uma abordagem – para nós quase desconhecida – de biólogas e ecologistas como Brigitte Baptiste e Joan Roughgarden que introduzem na sua pesquisa um olhar queer, trazendo para o centro do seu trabalho toda a diversidade que existe na natureza em relação aos afetos, sexualidade, género e expressão de género.

Ao longo da história da ciência, muita informação que contrariava os padrões da cultura hétero/cisnormativa (e que tingiam também a pesquisa científica) foi sonegada. Todes assistimos a imensos programas sobre a vida selvagem e, certamente, teremos dificuldade em recordar alguma informação sobre homossexualidade ou expressão de género entre animais ou plantas.

Através da pesquisa desenvolvida, descobrimos a imensa diversidade que caracteriza a natureza relativamente a estas questões e sentimos que seria uma importante porta de entrada nos temas que queremos tratar. Percebemos que é problemático a comparação entre animais e humanos, mas, como aponta Joan Roughgarden, “às vezes podem ser traçados paralelos entre a forma como as pessoas se comportam e a forma como os animais se comportam, como se os animais oferecessem culturas biológicas semelhantes às nossas”.

Esperamos que esta perspectiva sobre a diversidade da natureza possa ajudar-nos a diluir cristalizações sobre género e sexualidade que ainda hoje carregamos e que põem em causa o crescimento e o desenvolvimento, seguros e felizes, de tantas crianças e jovens LGBTI.

 

Ficha Artística / Técnica

Criação: Alfredo Martins e Luís Godinho.
Texto: Alfredo Martins.
Interpretação: Luís Godinho.
Cenografia: Carla Martinez
Figurino: Ainhoa Vidal
Desenho de luz: Manuel Abrantes.
Música e desenho de som: Rui Lima e Sérgio Martins.
Design: Luís Cepa.
Apoio à pesquisa: André Tecedeiro.
Consultoria Científica: Ana Corrêa.
Parcerias: ILGA, Rede Ex Aequo, AMPLOS, Casa Qui, CES Universidade de Coimbra.
Co-produção: teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser, teatromosca, Fábrica das Artes-CCB.
Residência de co-produção: O Espaço do Tempo
Apoio à residência: Centro Cultural Malaposta, Minutos Redondos, Câmara Municipal de Odivelas
Apoio: Governo de Portugal Ministério da Cultura/Direcção Geral das Artes, Câmara Municipal de Lisboa, Polo Cultural Gaivotas-Boavista, Casa do Capitão

 

Sobre teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser.

O teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser é uma associação cultural que tem como missão dinamizar actividades no âmbito das artes performativas, desde a criação de espectáculos à realização de actividades pedagógicas e de mediação artística.

Entre 2006 e 2016, o teatro meia volta desenvolveu uma actividade regular enquanto companhia de teatro, constituindo um corpo de trabalho dedicado à pesquisa de metodologias colaborativas de criação e à exploração de uma estética social e politicamente comprometida.

A partir de 2016, o teatro meia volta sofre uma reestruturação do seu modelo de trabalho, procurando responder às necessidades sentidas no meio de produção artística e entre os seus colaboradores. Abandonando o formato de companhia de teatro, o teatro meia volta passa a funcionar como uma estrutura de produção. Alguns dos artistas que colaboravam regularmente com a companhia passam a integrar o novo formato de produção enquanto artistas associados.
Neste momento, os artistas associados do teatro meia volta são Alfredo Martins, Anabela Almeida, Cláudia Gaiolas, Luís Godinho e Sara Duarte.

O trabalho de criação destes cinco artistas reitera o comprometimento social e político comum ao percurso do teatro meia volta, afirmando a necessidade de recuperarmos espaços colectivos de negociação que nos permitam dar respostas à complexidade do mundo em que vivemos, dominado por um sistema capitalista patriarcal desregulado, e, talvez, encontrarmos formas de, parafraseando Donna Haraway, vivermos e morrermos bem em conjunto.

Para além do trabalho de criação dos artistas associados, o teatro meia volta desenvolve um trabalho regular no âmbito da mediação artística, ensaiando formatos que pretendem potenciar a relação dos públicos, existentes e novos, com a criação e a programação artísticas. O Público vai ao Teatro é o projecto de envolvimento de públicos que, desde 2011, a estrutura tem desenvolvido em colaboração com instituições culturais públicas.

 

* Bilhetes na BOL do Município de Montemor-o-Novo ou no Posto de Turismo.

Detalhes

Início:
Fevereiro 18 @ 4:30 pm
Fim:
Fevereiro 23 @ 5:30 pm
Categoria de Evento:
Etiquetas de Evento:
,

Local

Oficina Magina
Rua Sacadura Cabral 10
Montemor-o-Novo, 7050-306 Portugal
+ Mapa do Google
Telefone:
266 877 073