A carregar Eventos

« Todos Eventos

  • Este evento já decorreu.

Joana Castro (residência)

Abril 12, 2022 - Abril 20, 2022

Darktraces: on ghosts and special traces

“Ser assombrado por um fantasma é recordar algo que nunca se viveu, ter a memória do que essencialmente nunca esteve presente.” – Jacques Derrida

Uma dança na desaparição do seu próprio rastro. Sem pertença. O que foi e já não é materializa-se em corpos que dão lugar às suas múltiplas existências, fantasmas de si, já extintos ou por vir, que tanto pertencem à matéria como à memória, à imaginação e à realidade percecionada, ao visível e ao oculto. Partilham de uma solidão existencial entre a vida e a morte.

(…)

Darktraces: on ghosts and spectral dances deambula entre imaginação/realidade (perceção), materialidade/imaterialidade, presença/ausência, visibilidade/invisibilidade. Uma dança sem pertença, que escapa por entre os dedos. Uma dança do “vem” que se materializa incorporada na memória, jamais um objeto da memória, e que desaparece. O simulacro de uma presença que desloca e remete para além de si mesma. Sem lugar, pois o apagamento pertence à sua própria estrutura. O rastro de um rastro.

O trabalho da dança também ele cheio de vícios e códigos a desconstruir todos os dias na nossa prática como forma de ir ao encontro de outras possibilidades de criação e relação com outras existências. Uma contínua reconstrução da nossa identidade, à procura de outras que nos invadam por um determinado tempo, dando lugar a outras e assim sucessivamente.

FICHA TÉCNICA

Conceção, direção artística, espaço cénico e paisagem sonora: Joana Castro

Cocriação e interpretação: Ana Rita Xavier, André Mendes, Maurícia | Neves e Thamiris Carvalho

Desenho de luz: Mariana Figueroa

Cocriação da paisagem sonora: Rafael Maia

Apoio sonoro: Bernardo Bento

Figurinos e caraterização: Silvana Ivaldi

Apoio à criação e residências artísticas: Balleteatro, CAMPUS Paulo Cunha e Silva, Devir Capa, Pro.dança, Visões Úteis, Reitoria da Universidade do Porto, Teatro de Ferro, Companhia Instável e Serralves – Museu de Arte Contemporânea

Residência de Coprodução: O Espaço do Tempo

Apoio à gestão financeira: Produções Independentes

Apoio à Criação: Fundação Calouste Gulbenkian

Coprodução: Serralves – Museu de Arte Contemporânea, Self-Mistake e Cine-Teatro Louletano

———

Joana Castro (1988, Porto). Coreógrafa e performer portuguesa desenvolve os seus projetos entre a dança, a performance e o som, tendo apresentado algumas das suas obras em Portugal, França, Bélgica, Alemanha e Brasil. Enquanto criadora na área da dança/performance destaca “Perto… tanto quanto possível” (2014), “SU8MARINO” (2016/17), “RITE OF DECAY” (2019/20), “and STILL we MOVE” (2021) em colaboração com Maurícia | Neves e “Darktraces” (2021), e na área do som a instalação “PARADISUM” (2015) e a paisagem sonora “RITE OF DECAY” (2019/20) em colaboração com Diana Combo. Desde 2007 tem vindo a lidar com a morte de uma forma muito próxima e recorrente, e inevitavelmente ideias como rituais de fim, de extinção, de (des)aparecimento e de morte enquanto potência transformadora têm habitado o seu universo criativo. Atualmente encontra-se em digressão com RITE OF DECAY e em processo de criação do seu novo projeto coreográfico “Darktraces: on ghosts and spectral dances”, com estreia no auditório de Serralves – Museu de Arte Contemporânea no contexto do Festival DDD, do Teatro Municipal do Porto em Abril de 2022.

Detalhes

Início:
Abril 12, 2022
Fim:
Abril 20, 2022
Categorias de Evento:
,
Etiquetas de Evento: