Albatroz síndrome (R. Gritto)

Uma grande estrutura, um ovo. Um ninho de madeira que ao entrar em combustão irá criar um abrigo, um local de incubação, um retorno ao primordial, um início eterno, o índice do infinito recomeçar. A instalação/ escultura/ acção que R. Gritto propõe é uma simbiose entre a natureza e a humanidade, um casamento voluntário pelo princípio do eterno movimento, eterna mutação, um cocoon, um combo para um futuro imprevisto.

Gritto é um artista que tem desenvolvido a sua área de trabalho e educação pela arquitectura, artes visuais, comunicação, entre outras. Tem trabalhado enquanto gestor de alguns projectos interculturais, bem como curador, mantendo sempre um interesse pela dimensão social do seu trabalho. Nos últimos anos tem estado envolvido na criação de projectos com artistas timorenses